Rio Grande do Sul, entre os mais competitivos do Brasil | Vinícius Wu e Marcelo Danéris

O ranking de Competitividade dos estados brasileiros, elaborado pela Consultoria britânica EIU (Economist Intelligence Unit) em parceria com o CLP (Centro de Liderança Pública),atesta que o Rio Grande do Sul segue entre os estados mais competitivos do país, ocupando a quarta posição entre as 27 unidades da Federação. O presente artigo buscará demonstrar que o bom desempenho do RS está relacionado à consolidação de políticas de desenvolvimento, durante o atual governo, e à consequente melhoria de alguns importantes indicadores econômicos e sociais obtida nos últimos anos.

O ranking leva em consideração o ambiente político e econômico, a infraestrutura disponível nos estados, a legislação estadual, os recursos humanos e a formação profissional, bem como a segurança pública e os investimentos em inovação e sustentabilidade. A pontuação varia de 0 a 100 e o Rio Grande do Sul obteve nota 63,3 – ficando atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Em relação ao levantamento anterior, a variação mais expressiva está relacionada à pontuação do estado de Minas Gerais, que perdeu posições no ranking, em decorrência do aumento da criminalidade e do baixo desempenho de sua economia no último período.

A manutenção do Rio Grande do Sul na quarta posição – a mesma obtida no levantamento passado – está ancorada em um conjunto de aspectos que têm sido objeto de políticas públicas presentes na estratégia de desenvolvimento implantada pelo governo gaúcho. Essas ações vão desde a reformulação da política de incentivos fiscais até a reorganização do sistema financeiro estadual, passando pela organização de um ambiente inovador de prospecção e facilitação de investimentos, denominado “Sala do Investidor”. Vários desses elementos se somam para conformar a Política Industrial do RS, uma das mais abrangentes aplicadas no âmbito dos estados brasileiros. Durante a atual administração, o estado já atraiu mais de R$ 45 bilhões em investimentos privados, um dos melhores resultados obtidos no país no período recente, mais um sintoma do bom ambiente de negócios encontrado atualmente no Rio Grande do Sul.

Um diferencial do RS para potenciais investidores é o Sistema Financeiro Estadual, composto pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), pelo Badesul (Banco de Desenvolvimento) e pelo Banco de Desenvolvimento do Extremo Sul, o BRDE. O Banrisul, sozinho, foi responsável pela concessão de mais de R$ 20 bilhões em crédito durante o atual governo. Outros R$ 5 bilhões foram aportados pelo Badesul e pelo BRDE.

Paralelamente, implementou-se uma política de incentivo à inovação e ao desenvolvimento tecnológico, revertendo anos de paralisia do estado em relação a políticas de P&D. Foram investidos mais de R$ 80 milhões na estruturação de pólos e de parques tecnológicos, integrados aos sistemas produtivos locais, organizados em praticamente todo o território riograndense.

Implantou-se, ainda, o maior programa de formação profissional da história do Rio Grande do Sul, ofertando em torno de 240 mil vagas que buscam atender às necessidades de formação da indústria e dos diferentes segmentos produtivos do estado. Através de um Pacto firmado com diversos segmentos sociais e o com o setor produtivo, desenvolvemos ações de incentivo à formação profissional, técnica e tecnológica, fazendo do estado do Rio Grande do Sul o maior cliente do PRONATEC em todo o país.
A recuperação das funções públicas do Estado, perseguida pelo atual governo, permitiu ao Rio Grande ampliar em 47% os investimentos em segurança pública (um dos itens considerados pelo ranking de competitividade), além de dar início ao maior programa de recuperação de estradas dos últimos anos, com investimentos que ultrapassam R$ 2 bilhões.

Por fim, cumpre ressaltar a reestruturação do Porto de Rio Grande, que já é considerado um dos mais eficientes e estratégicos do país. Desde 2011, investimentos estão sendo realizados pelo governo estadual visando sua adequação aos padrões internacionais vigentes. Cerca de R$ 5 milhões já foram investidos no Porto em obras de drenagem, de energia elétrica e lógica e de pavimentação do cais. Devido a esses investimentos, o Porto de Rio Grande vem cumprindo papel cada vez mais destacado na economia gaúcha, tanto como plataforma de escoamento da produção agrícola e industrial sul-americana, como indutor do desenvolvimento regional do estado.

Portanto, o posicionamento do Rio Grande do Sul entre os quatro estados mais competitivos da Federação está diretamente relacionado ao amplo conjunto de políticas públicas de estímulo ao desenvolvimento econômico e social do estado, implantadas desde o início da atual administração. O crescimento do PIB do estado em 2013, na ordem de 6,3%, frente a uma expansão de apenas 2,5% do PIB nacional, atesta o acerto das atuais estratégias desenvolvidas pelo governo gaúcho.

A recuperação das funções públicas do Estado e o entendimento de que o Poder Público deve ser protagonista na formulação de estratégias e políticas de incentivo ao desenvolvimento orientam a ação do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. E, dessa forma, a comparação entre os resultados obtidos atualmente com os apresentados à época da hegemonia neoliberal no estado, demonstram, empiricamente, qual abordagem tem sido capaz de apresentar melhores resultados ao conjunto da sociedade.

Compartilhe!

Deixe uma resposta