Por que Serra perdeu o debate na Band

por Vinicius Wu

Debate entre candidatos não é tourada. Não cai um boi morto no chão ao final. É sempre difícil avaliar o resultado de um debate. Cada lado sai em defesa de seu candidato e a repercussão na mídia é disputada nos dias posteriores. Mas há sim uma questão relevante a ser considerada. Trata-se do papel que o debate ocupa na estratégia de um determinado candidato. Serra apostou, sim, nos debates na TV. Era sua “cartada” decisiva contra uma candidata “inexperiente”. Se considerarmos este fato, podemos sim afirmar que Serra foi quem mais perdeu com o debate.

Como se insere na estratégia de Dilma os debates na TV? Bem, não é preciso muito esforço para percebermos que os debates não estão no centro de sua estratégia. Explorar o sucesso dos dois governos Lula, ressaltar o papel que Dilma desempenhou na gestão das principais políticas de governo etc. tem um peso muito mais destacado no conceito de sua campanha, evidentemente. Para Dilma, bastava ir ao debate e “empatar” o jogo. Ainda mais agora, após a divulgação da pesquisa CNT/Sensus, onde a candidata aparece com dez pontos de vantagem sobre Serra.

Serra, pelo contrário, desde o início, apostou nos debates. Não sou eu quem está afirmando isto. Basta olharmos as dezenas de artigos dos colunistas simpáticos ao PSDB nos últimos meses. Basta revisitarmos as inúmeras declarações dos dirigentes da campanha tucana e do próprio serra. Criaram uma enorme expectativa em torno da esperança de verem Serra surrar Dilma nos debates. Definitivamente, não foi isto o que ocorreu.

Dilma estava nervosa? Bom, tirando o Plínio, todos estavam nervosos nos primeiros blocos. Dilma poderia ter se saído melhor? Certamente, até pela qualidade que possui. Mas a vitoria acachapante de Serra não veio e o problema é que ela estava no centro de sua estratégia.

E ainda tinha semifinal da Libertadores no meio do caminho…

O eleitorado brasileiro amadureceu o suficiente para não definir seu voto – e seu futuro – baseado em truques de debate ou produção de TV. Debates e programas de TV são importantes, certamente. Mas não parece que as próximas eleições serão decididas por nenhuma estratégia de marketing. O povo brasileiro vai julgar não apenas os últimos oito anos. Julgará os últimos dezesseis e lançará uma aposta para os próximos oito.

Serra errou muitas vezes até aqui em sua campanha. Errou novamente ao anunciar, antecipadamente, sua vitória “acachapante” nos debates da TV. Ao confiar tanto em sua performance e experiência em eleições, Serra abriu espaço para a frustração de seus correligionários diante do resultado do debate.

Não foi o debate propriamente o que definiu a derrota de Serra ontem. Foi a orientação estratégica de sua campanha, que criou tanta expectativa em torno de sua suposta “superioridade” nos debates.

Compartilhe!

7 Comentários

  1. Mesmo tendo prometido que não comentaria mais nenhum fato político é impossível deixar passar o que vimos no debate ao vivo entre os candidatos a presidência. Vou repetir o que tenho dito; nunca foi tão facil se ganhar uma eleição…. Dilma ficou exatamente dentro dos limites dos chavões de campanha e Serra, a expectativa, não soube responder ou explorar de forma convincente. Marina ficou de boa moça e o candidato do PSOL foi o único que mereceu uma atenção maior em suas declarações mas como sabemos não vai a lugar algum. Foi mediocre, e de respostas genericas que a nada respondem diretamente, incompetentes e alienados de uma realidade. Não será surpresa se os resultados das urnas apresentarem um quadro muito diferente das pesquisas que temos hoje. A massa, aquela que realmente vota não viu nada que seja do seu interesse simplesmente por que nada foi mostrado. Estão todos iludidos olhando para o próprio umbigo e enebriados pelos resultados das pesquisas. Não é serio… o que vimos não é serio. Onde estão as assessorias, os profissionais da área. Onde está a capacidade dos candidatos de se auto-avaliarem em seus desempenhos. Quando os candidatos irão se aproximar do povo, aqueles que votam, para saber realmente o que pensam e esperam. Quando perderão menos tempo com setores de elite que não tem nem o próprio voto? Por tais razões que insisto e repito; nunca esteve tão facil ganhar uma eleição no Brasil.

    Responder
  2. Certamente vcs não viram o mesmo debate que eu.

    Dilma não surpreendeu ninguém, pois todos sabem que ela é despreparada, veremos se o eleitorado amadureceu no dia da eleição, pois em um dia o marketeiro fala para a Dilma falar mal do MST no outro pra falar bem, ela não consegue construir uma frase própria sem o auxilio dos marqueteiros.

    Ela também esqueceu de deixar claro a principal herança do governo Lula, o quanto a corrupção está presente na política.

    Dilma é fraca, sem carisma e totalmente despreparada, tenho pena!!

    Responder
  3. Serra não perdeu para ninguem, perdeu para êle mesmo. Nunca foi tão facil ganhar uma eleição…..

    Responder
  4. Primeiramente, não há que se encontrar um perdedor ou um ganhar de debate, como dito no início deste artigo. Acho que pela baixa qualidade da capacidade de discussão de Serra e Dilma, nós sim saímos perdendo (povo). Ainda bem que terão outros debates.
    Mas como vc pode dizer que debate não é foco de campanha da Dilma? Pra mim isso deveria ser uma das principais ferramentas, pois se vê ao vivo como cada um se expressa ao ser provocado.
    Acho seu comentário bem tendencioso ao ‘derrubar’ apenas Serra. Dilma também não se saiu bem e não tem essa de não estar no centro de estratégia. Tanto ela falou quando então ministra…cadê a mesma propriedade de explicação (e objetividade)? Senti falta disso. Mas confesso que o meu candidato presidenciável não esteve tão bem preparado (não é o Serra) e necessita fundamentar melhor seus projetos. Porém, não vale a pena querer livrar apenas a cara da Dilma aos leitores.
    Bom… ainda bem que teremos mais debates…e que eles todos estejam mais preparados!
    Obrigada!

    Responder
    • Serra perdeu até o rumo de casa…
      Francamente uso de verniz já er ameu filho.Acorda!!!
      Antipático,mascarado e sem palavras…

      Responder
  5. Tarso Genro fez historia na forma como ganhou as eleições no Rio Grande do Sul. Se ocorresse em outro Estado talvez fossem outras as considerações. Candidatos devem executar correções continuas no curso de suas campanhas de forma rapida e com o maximo de repercussões como é exigido pela internet na éra das comunicações rápidas, limpidas, inequivocas e inteligiveis a todos. Tarso Genro fez isso com muita propriedade por seus proprios meritos de comunicação onde uma retomada dependia de uma leitura anterior comparando-se ao mestre Presidente Lula que manobra nesta área como quem ancora um navio em meio copo dágua. Dilma Rousseff nesse segundo turno vem perigosamente caindo mesmo nas mal armadas armadilhas do Serra quando responde suas perguntas. Candidato bom, pergunta muito e responde pouco ao seu adversário preenchendo seu tempo em conversas propositivas com o povo, com o telespectador, com o ouvinte e até os seus adversários que não seja o candidato. Serra adota a agressão seguida de uma queixa de que está apanhando como catalizador do foco para em ato continuo desfiar suas repetidas promessas. No dia seguinte ao debate Serra recitou um cordel de novos ataques acompanhados de costumeiras e maquiadas promessas. Dilma Rousseff por sua vez prendeu-se ao que considerou pontos altos do debate, um erro primario pois quem viu pensou -”isso já vi” e se frustrou. Ésta tática de Dilma Rousseff da repetição vem amargando prejuizos na sua campanha e desperdiçando valiosas oportunidades em que Serra não se sai bem. Isso tem se tornado por demais evidente e merece uma reflexão pois não está tendo a repercussão esperada junto ao povo. Outro fato é a forma como tem usado seu vocabulario. Serra é apenas uma promessa. Dilma Rousseff é uma realidade que tem tudo a explorar eleitoralmente mas tem de fazer correções que já estão postas de forma clara junto as massas. Torcemos que ocorram rapidamente.

    Responder
  6. Marina não transfere votos. O que foi colhido pelo PV nas eleições presidenciais será repartido com diferenças não significativas entre PT e PSDB pensar diferente disso é tudo o que Serra quer. Assim como outros assuntos sob os quais polemiza para manter Dilma contra a parede, como o caso do aborto por exemplo. Existem equivocos que merecem atenção pois estão alterando a ordem natural das campanhas que foram postas nas ruas. O crescimento de Serra se deve ao redobrado ataque que faz a Dilma via internet e desta vez usando de todas as ferramentas possíveis. É inegável que éssa ação surte seus efeitos junto aos menos avisados, principalmente a juventude. Uma mentira repetida diuturnamente assume conotações de verdade. Por incrivel que pareça, o trio dirigente da campanha de Dilma assume uma postura de imobilismo perante o fato. É hora de contra atacar Serra, mas fora do horário eleitoral quando a propaganda veiculada surte maior efeito e tem sido um dos trunfos baixos de Serra. O problema maior é convencer a direção da campanha da Dilma.
    Equivocos e mentiras flagrantes do candidato do PSDB não tem merecido a devida atenção. Serra está sentido-se como pinto no lixo, mente deslavadamente, ataca de forma caluniosa sem revides e ainda se queixa de que está apanhando. Como se não bastasse chama para o PSDB toda a sorte de conquistas do governo Lula da forma mais descarada possível. Resta então perguntar; – Como não subir nas pesquisas? A resposta é simples. Desmontar o discurso falso e fantasioso e para cada ataque desferir dois mas com verdades incontestaveis. E lembrar aqui, que na ultima semana será de fundamental importancia o enganjamento diario de Lula assim como de governadores e outros politicos de expressão numa ação de porte que dilua as ações predatórias de Serra.

    Responder

Deixe uma resposta