Marina sem poesia: a candidata entrevistada no JN | Vinicius Wu

O frágil equilíbrio que marca a candidatura de Marina Silva foi testado em sua entrevista ao Jornal Nacional e o resultado não foi muito positivo para ela.

A ida de Marina Silva ao Jornal Nacional coincidiu com a divulgação de detalhes da investigação sobre a origem do avião usado pela campanha do PSB. Como era de se esperar, a entrevista começou por aí e Marina não soube se explicar. Ficou a nítida impressão de que sua candidatura não é tão diferente assim das demais.

Marina não se destacou nas últimas pesquisas apenas pela comoção em torno da morte de Eduardo Campos. Ela deve seu desempenho, principalmente, à sua capacidade de aparecer, até aqui, como a candidata que mais incorpora o espírito mudancista e de aversão à política, identificado pelas pesquisas de opinião e presente nas mobilizações de 2013.

Apesar de ser um quadro com larga trajetória política, dentro dos parâmetros tradicionais – foi vereadora, senadora, ministra etc. – ela tem se apresentado como uma “outsider”, capaz de denunciar a “velha política”. Sua campanha em 2010 tinha muito mais de inovação, criatividade e diferenciação política do que a atual.

Sua ida para o PSB foi uma decisão marcada pelo pragmatismo, que tornou explícita sua disposição em “jogar o jogo”. Mas, o recall de 2010 a permitiu empunhar, pelo menos até aqui, a bandeira da mudança. Nos próximos quarenta dias, Marina terá de se equilibrar entre a costura de acordos pragmáticos – sem os quais não poderá ganhar as eleições e nem governar – e a manutenção de sua imagem de candidata adversária do status quo da política nacional.

Esse frágil equilíbrio foi testado em sua entrevista ao Jornal Nacional e o resultado não foi muito positivo para a ex-Ministra de Lula. Afinal, ela não explicou a origem do financiamento do avião e nem foi capaz de dizer de que forma sua campanha – e consequentemente seu governo – será diferente das demais. Portanto, Marina, hoje, perdeu um pouco de seu “charme”. Desceu ao mundo dos mortais. Mostrou que joga o “jogo”. Perdeu mais do que ganhou indo ao JN.

Se vai conseguir manter-se como a “porta-voz” da nova política, ou não, é algo que só descobriremos nas próximas semanas. Mas, ao menos em sua entrevista no JN, Marina foi apenas mais uma opção, dentre outras já disponíveis.

Compartilhe!

3 Comentários

  1. Marina Silva rompeu com sua formação ideológica da Teologia da Libertação, rompeu com o ideário de Chico Mendes e ainda e ofendeu sua morte ao compará-lo a mesma elite de Neca Setubal do Itaú que coordena seu programa. Marina Silva rompeu com Lula, depois de usurpar do PT toda sua trajetória política, rompeu com o ambientalismo quando ontem no JN flertou com os transgênicos, Marina não consegui formar um partido e se utilizou de outro o PSB, de forma pragmática como afirma o texo, como também demonstra o que de mais velho tem na política: o personalismo. Não bastasse tudo isso, Marina se utilizou da mais velha ações dos poliqueiros, o uso da dor de uma morte a seu favor. Quem nunca viu os velhos políticos tradicionais visitando todos os velórios da cidade, mesmo sem conhecer o de cujus. Sem falar que temas que poderia se a novidade na política, como a legalização do aborto, da maconha, a reforma política, a autonomia do banco central, od direitos humanos, em todas esses temas Marina ao romper com Marina diáloga com o que há de conservador nessas áreas. Seu economista (GianoT0 comentária da Globo News, figurinha carimbada da Globo e parceiro de Wilian Wack, defende o neoliberalismo clássico, menos Estado, arroxo fiscal, auimento da taxa de juros, tudo igual ou pior que o PSDB. Para finalizar, que nova pol´tica é essa que defende Marco Feliciano. Onde esta o novo. O vejo é muito mais do velho.

    Responder
  2. Minha impressão foi totalmente ao contrário… Imagine toda vez que entrar em um carro de alguém desconhecido perguntar a origem se foi comprado se é emprestado examinar os documentos etc etc etc A Marina colocou o mal intencionado Bonner no seu devido lugar

    Responder
  3. O PT e os outros estao com iveja e com dor de cotuvelo 40 neles marina neles

    Responder

Deixe uma resposta